Chips aumenta a potência dos motores

Os amantes da velocidade fazem de tudo para turbinar seus carros, mas isso pode trazer males ao motor.

0
1444
chips

Colocar chips em carros para aumentar a potência, é bom ou ruim?

Muitos proprietários estão colocando chips os seus automóveis. Afinal, os chips fazem milagre ou tudo é enganação? O Caderno Auto entrevistou o empresário e especialista Arlen Assef que falou como funciona o chip e dos males que o acessório pode trazer para o seu veículo.

Chips

A injeção eletrônica do seu carro está treinada para aceitar alguns parâmetros de como ela deve se comportar em determinadas circunstâncias. Com estas informações, ela analisa as variáveis (combustível, clima, pressão atmosférica) e controla a curva de torque, a mistura do combustível, etc. Em alguns casos, a injeção também é programada para limitar eletronicamente a velocidade máxima de um veículo.

Com o chip instalado no seu carro estes parâmetros são modificados e você consegue aumentar a potência ou elevar o torque em baixas rotações e com uma rapidez incrível.

“Você coloca o chip no carro, ele aumenta a potência chegando ao máximo do motor. No Troller tem chip de R$1.800,00, R$ 1.000,00 cada um. Quanto maior a potência, maior será o preço a pagar pelo chip. Depende do bolso do cliente”, conta Arlen Assef.

O empresário Luís Ricardo Mello Feitosa possui uma Hilux e já que gosta de participar de trilhas resolveu colocar um chip no motor de sua picape para aumentar a potência,  o resultado, no que diz respeito a performance, segundo Luís Ricardo é surpreendente.

“O carro já é bom, forte e nas trilhas desenvolve muito bem. No entanto com o chip ele triplica essa força, o que nos traz uma satisfação inigualável”.

 

Outro que colocou chips no motor do seu 4×4 foi o comerciante Álvaro Augusto Soares e fala que não se arrependeu.

“Para quem gosta de correr responsavelmente nas trilhas, quer ter um resultado satisfatório para não ficar para trás. Gosto de potência e espero em breve turbinar ainda mais minha Hilux”, diz o comerciante.

Prejuízos

O especialista Arlen Assef conta que muitos dos proprietários que colocam chips em seus carros são na verdade loucos pela potência. Não existe limites para conseguir uma performance única em seu veículos. “Hoje estão fazendo chip para Hilux, para Discovery. Na verdade eles querem tirar leite de pedra, pois uma Discovery anda um absurdo, a Hilux parece um carro a gasolina mas quem é que satisfaz? As pessoas querem andar sempre mais”, explica.

Como tudo na vida, existem as consequências. Arlen Assef  fala que o chip pode até trazer mais potência para o veículo, mas causa graves consequências para o motor.Além de diminuir a vida útil dele, polui mais do que os carros não chipados.

“Ele aumenta a potência do motor, isso é verdade. No entanto, na medida que ele aumenta essa potência e a força, vai diminuindo a vida útil do motor”.

Carros com chips, ocorre o aumento do consumo de gasolina e o aumento considerável da fumaça que sai do escapamento dos carros.

“Quando ele vem chipado de fábrica, o mecanismo vem com o objetivo de soltar menos gases no ar e quando algum motorista coloca chip ele vai ter potência, mas vai jogar mais impurezas no ar”.

Mercado

Especialistas automobilísticos falam que na hora de revender o carro, o proprietário sempre manda retirar o chip para não perder dinheiro. Todavia, na maioria das vezes, o comprador sempre nota que o veículo é chipado e a compra é dificultada devido ao chip dentro do motor. “Em alguns casos, o dono manda o mecânico fazer uma rápida manutenção no motor de um veículo chipado. Ele retira o chip e o motor volta com sua performance original de fábrica. Mas em outros casos, quando o dono não está financeiramente bem, ele tenta repassar o carro chipado a um preço e não vai ter sucesso na hora que for fazer a troca, devido o carro estar chipado. A vida útil do motor estará reduzida quase pela metade e ninguém quer adquirir um veículo com um motor danificado”, diz especialista.

Cuidados

Para os apaixonados por potência e que pretendem turbinar seus veículos colocando chips, jamais podem esquecer da manutenção não só no motor, mas em outras partes. O carro deve obrigatoriamente passar por uma revisão mecânica completa, incluindo suspensão, refrigeração e sistema de direção. É recomendado  também que os condutores façam as trocas de óleo e filtros no tempo correto e que está especificado no manual do carro. E por fim, não custa nada ver com atenção se o nível de água do radiador está completo, já que os componentes do propulsor serão muito mais exigidos.

Legal ou ilegal

Conforme Arlen Assef trafegar com um veículo chipado é ilegal, porém não sabe se aqui o acessório é liberado pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran-CE).

Procurado pela reportagem do Caderno Auto, o Detran-Ce informou que a colocação de turbo e mudanças no motor exigem autorização prévia do órgão de trânsito. O Detran, além de fazer uma rigorosa inspeção, encaminhará o automóvel para uma oficina cadastrada pelo Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro) que emitirá uma nota autorizando ou não o veículo de trafegar pelas ruas.

Se caso for aprovado, no novo Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) terá que constar a mudança. Vale lembrar que dirigir fora das especificações descritas no CRLV pode ocasionar multa de R$ 127,69 e perda de cinco pontos na Carteira, já que trata-se de uma infração grave de trânsito.

Vantagens, desvantagens e recomendações

Nos casos de carros chipados existem as vantagens e as desvantagens como também algumas recomendações básicas. A primeira vantagem é que ao instalar um chip no motor não exige a abertura do motor e nem a troca de seus componentes móveis internos. Em média, a instalação demora em torno de três a quatro horas. A troca do chip pode ser revertida a qualquer momento, devolvendo ao automóvel as suas características originais de fábrica. Nas desvantagens podemos citar outras duas. A reprogramação incorreta do chip pode comprometer a durabilidade do motor e se a mistura de combustível for muito rica pode haver danos ao catalisador. Especialistas recomendam o proprietário fazer o serviço somente em oficinas conceituadas, com mecânicos ou engenheiros especializados em reprogramação de chip. O ideal é comprar um chip já pronto, específico para o modelo e adequado à cilindrada do veículo. É bom você guardar o chip original para quando quiser reverter a preparação. Verifique o tipo de configuração que está programada no chip e em quando ela altera as curvas de potência de torque e o consumo do carro.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA