Minha cura, minha música

12
2083

A interferência e aplicabilidade das musicas na presença de nós seres humanos é, de certa forma, inquestionável. Mesmo não sabendo quando esta surgiu ou a definição correta para ela, todos sabem o que é musica quando se escuta alguma, e o simples ato de ouvi-la pode mudar traços de sua personalidade ou esta pessoalidade pode intervir no seu gosto musical.

Uma pesquisa realizada por Peter Rentfrow e Samuel Gosling,ambos da Universidade do Texas, revela que a musica pode auxiliar na compreensão de diversos processos psicológicos, ainda segundo eles, a relação entre sons e atitudes podem ser conferidas à riscos de personalidade.

Outro estudo realizado por David Greenberg, da Universidade de Cambridge no Reino Unido, mostra que os gostos musicais das pessoas estão diretamente ligados à três personalidades,os empáticos, os sistemáticos, e por fim, aqueles que possuem um equilíbrio entre as outras personalidades,os balanceados.

Os empáticos revelaram gostar de musicas mais lentas, suaves que trazem emoções de tristeza e certa profundidade, como o ReB. Os sistemáticos apontam gosto musical por letras e harmonias mais complexas e intensas, como o Heavy Metal. E os balanceados, como dito antes, mostram equilíbrio entre os dois gostos.

Para tanto, as musicas trazem consigo na atualidade o luxo, o dinheiro em suas letras. Portanto como já se sabe que esta influencia no psicológico de nós seres humanos, talvez pudesse trazer ações benéficas também para esse meio e não somente para o econômico e diversão, podendo ser usadas como objetos de terapia em consultas psicológicas no que tange a crianças com síndrome de Down e também aquelas que possuem paralisia cerebral, sendo que a música é uma das únicas artes que estimula e movimenta o nosso cérebro por inteiro.

12 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA