O vício mundial: A música

0
853

Se você é daquele tipo de pessoa que só ouve música por diversão ou para reviver aquele amor ou traição mal resolvido, fique sabendo de que você está fazendo um bem danado para a sua saúde e para o seu todo. Conheça agora os cinco benefícios que a música traz para a saúde do ser humano. Que fique claro: enquanto escrevo este artigo, ouço uma música (rsrs)

Assim como o sexo e o chocolate a música nos traz prazer, tranquilidade, adrenalina e nos faz pensar sobre o cotidiano. Uma das contribuições da música é na saúde:

A música tem efeitos positivos sobre o manejo da dor, pode ajudar a reduzir tanto a sensação de angústia até mesmo uma dor crônica e dor pós-operatória. Ouvir música pode reduzir a dor crônica de uma série de condições dolorosas, incluindo osteoartrite, a depressão em até 25%, de acordo com uma pesquisa na Inglaterra. A Musicoterapia é cada vez mais usada  em hospitais para reduzir a necessidade de medicação durante o parto, para diminuir a dor pós-operatória e complementar o uso de anestesia durante a cirurgia. A música pode dar ao paciente uma sensação de controle, fazendo com que o corpo libere endorfinas para neutralizar a dor. Música lenta faz a pessoa relaxar, diminuindo a sua respiração e os batimentos cardíacos

A Música acelera a recuperação pós-AVC. A dose diária de uma de melodias pop favoritas, música clássica ou jazz pode acelerar a recuperação de acidentes vasculares cerebrais debilitantes, de acordo com as últimas pesquisas. Quando pacientes com AVC na Finlândia ouviu a música por um par de horas a cada dia, a memória verbal e atenção melhorou significativamente em comparação com os pacientes que não receberam nenhum estímulo musical, ou que ouviu apenas as histórias lidas em voz alta, os relatórios de estudo.

Os cientistas explicam que um determinado tipo de música pode criar uma experiência emocional positiva e profunda, que leva à secreção de hormônios que aumentam a imunidade. Isto ajuda a contribuir para a redução dos factores responsáveis ​​pela doença. Ouvir música ou cantar também pode diminuir os níveis de cortisol, hormônio do estresse relacionado. Altos níveis de cortisol pode levar a uma resposta imunológica diminuída.

A música melhora o desempenho da memória. O poder da música para afetar a memória é bastante intrigante. A música de Mozart e música barroca, com 60 batimentos por minuto padrão de batida, ativa o cérebro esquerdo e direito.  A ação simultânea cérebro esquerdo e direito maximiza o aprendizado e retenção de informações. A informação que está sendo estudado ativa o lado esquerdo do cérebro, enquanto a música ativa o lado direito do cérebro. Além disso, as atividades que envolvem os dois lados do cérebro ao mesmo tempo, como tocar um instrumento ou cantar, fazer com que o cérebro para ser mais capaz de processar informações.

Música melhora a concentração e atenção. Ouvir música ou clássicos relaxante melhora a duração e intensidade de concentração em todas as faixas etárias e níveis de habilidade. Não está claro que tipo de música é melhor, ou o que for necessário para ajudar tipo de estrutura musical, mas muitos estudos têm mostrado efeitos significativos.

Música melhora o movimento do corpo e coordenação A música reduz a tensão muscular e melhora o movimento do corpo e coordenação. A música pode desempenhar um papel importante no desenvolvimento, manutenção e restauração de funcionamento físico na reabilitação de pessoas com distúrbios do movimento.

A música também é muito essencial no esporte:

A música sempre foi uma grande aliada do esporte, propiciando uma variedade de efeitos psicológicos que afetam positivamente o desempenho de muitos atletas. A música pode influenciar no humor, na emoção, nas atitudes e comportamentos dos atletas, contribuindo muitas vezes nos resultados das competições.

Estudos fisiológicos relatam que a música influencia uma série de fatores,  como a freqüência cardíaca, a respiração, dentre outros. A música pode exercer um efeito no desempenho físico, retardando a fadiga ou aumentando a capacidade de trabalho, resultando em níveis acima do esperado de resistência, potência, produtividade ou força.

Muitos atletas usam a música para buscar energia e motivação para enfrentar seus desafios e melhorar suas performances. Um atleta, independente de sua modalidade, necessita de ritmo e movimento. Se os seus movimentos são constantes e ritmados, a música terá um papel qualitativo neste processo.

Na Espiritualidade :

Existem muitos sons por aí, muitas canções, que são compostas rotineiramente, com propósitos e interesses diversos. Estes sons muitas vezes nos invadem sem darmos permissão, e nos fazem ter sentimentos variados como: alegria, tristeza, solidão, paixão, motivação, revolta, etc…

Muitas pessoas são influenciadas pelas músicas que ouvem, seja fisicamente, emocionalmente ou espiritualmente, alguns se envolvem tanto que até mudam a sua forma de ser, de vestir, de pensar, de viver.

No cérebro:

Uma criança inicia seu processo de experiência musical desde cedo, através da captação de sons que ela ouve, desde as canções de ninar, aos sons do cotidiano. O cérebro da criança vai se condicionando gradativamente por meio das diversas modalidades de relações melódicas, harmônicas e rítmicas que acontecem ao seu redor.

Como conseqüência a mente musical vai-se moldando e se constituindo através da captação destes sons que o ouvido interno absorve dia a dia, aguçando a capacidade da mente para ouvir e perceber as diversas nuances musicais. A música tem sido uma excelente ferramenta no auxilio e estímulo do cérebro humano, desenvolvendo processos cognitivos e colaborando nos principais motores da capacidade humana.

No comportamento:

Se as pessoas souberem absorvê-la positivamente, poderão ter enormes benefícios que agregarão valores qualitativos. No trabalho infantil ela tem um papel fundamental, contribuindo para no seu desenvolvimento social e emocional, podendo levar a um melhor auto-controle e comportamento. As crianças, a partir do momento em que são capazes de engatinhar, já estão aptas a estar no controle de alguma coisa, por isso a música pode ser um auxílio neste processo.

Para um trabalho específico com crianças, existe os dois lados da moeda, ou seja, as crianças que se sentem envolvidas com a música e se acalmam ao ouvi-las, ajudando-as no processo comportamental, mas também aquelas crianças com a natureza mais agressiva, onde este trabalho não terá um efeito positivo a curto prazo, podendo até irritá-las mais.

Com certeza, o balanço é positivo, a música beneficia muito mais a criança do que prejudica. Foi feito uma pesquisa na Inglaterra com crianças em sala de aula, onde foi medido a freqüência cardíaca e temperatura dos alunos mais indisciplinados, onde foi se colocou durante algumas semanas algumas  músicas para acalmá-los.

Surpreendentemente, constatou-se que muitas crianças depois que ouviram e vivenciaram esta experiência tiveram as suas frequências cardíacas mais baixas e suas temperaturas mais equilibradas ao ponto de influenciarem em seus comportamentos.

A Música consegue impactar o humor das pessoas, influindo diretamente em seus comportamentos.  Se fosse possível que todas crianças ouvissem música de qualidade desde sua tenra idade, estaríamos moldando uma personalidade muito mais criativa, ampla, dinâmica, proativa, etc…

Fonte:musicaplena

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA